Aluno é castigado por horas e professora é afastada

Uma professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Salime Abdo, no bairro Jardim Alvorada, em Nova Odessa (SP), foi afastada do trabalho por um período de 30 dias, acusada de ter deixado um aluno da 1ª série de castigo por quatro horas e meia. A professora teria colocado o menino, de 7 anos, sentado atrás de uma porta, na sexta-feira, por ter esquecido de devolver um livro à biblioteca.O garoto ficou parado no local mesmo depois de a escola ter sido fechada. Ele foi encontrado em estado de choque pela mãe, Maria Luzineide Nunes, que registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Nova Odessa.A Secretaria Municipal de Educação abriu sindicância para apurar o caso e informou que a professora foi afastada até a conclusão do procedimento. O nome da professora não foi divulgado. Por meio de nota pública, a Secretaria de Educação informou que abriu a sindicância interna e colocou à disposição da família "todo apoio psico-pedagógico que a criança necessitar".A Secretaria apontou, na nota pública, que "o puro e simples ato de castigo, além de contrariar o Estatuto da Criança e do Adolescente, não é, sob nenhuma hipótese, norma pedagógica adotada pelo sistema educacional municipal". Ainda conforme a nota, o aluno ainda permaneceu no castigo 50 minutos depois de a escola ter sido fechada, embora o prédio tenha abrigado uma reunião técnica da Caixa Econômica Federal até as 20h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.