Secretaria de Educação de Janaúba
Secretaria de Educação de Janaúba

Alunos de creche incendiada em Janaúba retomam as atividades

14 dias após a tragédia que deixou 11 mortos, pais de crianças sobreviventes hesitam em levar os filhos à escola

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

19 Outubro 2017 | 19h32

BELO HORIZONTE - A prefeitura de Janaúba, no norte de Minas Gerais, retomou nesta quinta-feira, 19, as aulas dos alunos da creche Gente Inocente, incendiada no dia 5 pelo vigia Damião Soares dos Santos. 

+++ A vida e o sonho da heroína de Janaúba

Quatorze dias após a tragédia que deixou 11 mortos, no entanto, os pais dos alunos sobreviventes parecem não querer, ao menos por enquanto, enviar seus filhos de volta à escola. Entre 25 e 30 crianças que deveriam ter voltado para a escola nesta quinta não compareceram ao local, segundo informações da secretária de Educação, Luzia Angélica Santos.

+++ Com balões brancos, missa de 7º dia homenageia vítimas de tragédia em Janaúba

"Acredito que o retorno dessas crianças seja uma questão de tempo e confiança dos pais", afirmou Luzia Angélica.

A creche incendiada pelo vigia tinha 80 alunos matriculados. Nesta quinta, apenas 28 compareceram, segundo a secretária. Há ainda crianças que, por recomendação médica, permanecem em casa, por não poderem tomar sol por causa das queimaduras.

+++ Temer libera R$ 8,7 milhões para obras em Janaúba

A escola vai funcionar provisoriamente em um prédio construído recentemente para uso da Secretaria Municipal de Saúde. Em reunião realizada na manhã desta quinta, representantes da Secretaria da Educação mostraram aos pais a nova estrutura.

 

Vítimas

Onze vítimas do incêndio na creche continuam internadas, seis em Belo Horizonte e cinco em Montes Claros, também na região norte de Minas. Do total de pessoas que permanecem nos hospitais, sete são crianças e quatro, mulheres. A última alta foi de Maisa Gabriely de Jesus, de 4 anos, que deixou a Santa Casa de Montes Claros na terça-feira, 17.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.