Alunos de escola em Realengo estão com medo de voltar às aulas

Algumas mães estão revoltadas e dizem que vão processar prefeitura por suposta falta de segurança em colégio

Pedro Dantas, O Estado de S. Paulo

14 Abril 2011 | 17h54

RIO - Pais de alunos da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona oeste do Rio, continuam comparecendo à unidade para receber informações sobre o retorno às aulas. Muitos deles relataram à direção da escola que os filhos estão traumatizados e não querem mais estudar no colégio.

 

Alguns encontraram soluções alternativas para que os filhos voltem a estudar. Este foi o caso da costureira Rosângela da Costa Cruz, de 46 anos, mãe de Lorrainy Cruz de Oliveira, de 15 anos, que se matriculou e voltou a estudar a pedido da filha, que revelou que estava com medo de ir sozinha para a escola.

 

No entanto, algumas mães de vítimas estão revoltadas com a falta de segurança no colégio e anunciaram que vão processar a Prefeitura do Rio. "Há um mês, eu vim entregar um lanche e não me deixaram passar do portão. Como é que este assassino entra e sobe as escadas para matar as crianças? Eu e outras mães vamos acionar a Prefeitura na Justiça para que este caso não fique impune", disse Noeli da Silva Rocha, de 38 anos, mãe de Marianna, que morreu no massacre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.