Alunos denunciam terem sido obrigados a ficar nus em escola

Oito estudantes de Eletromecânica do Centro de Formação Profissional Francisco Adreissi Ximenes, do Senai, no município metropolitano de Cabo de Santo Agostinho, denunciaram nesta terça-feira, na Delegacia Para a Criança e Adolescente (DPCA), que o coordenador da escola e dois professores os obrigaram a ficar nus para serem revistados devido ao desaparecimento de R$ 70,00 de um colega. O fato teria ocorrido em novembro, e 13 alunos teriam sido vítimas da violência. Eles prestaram queixa somente ontem porque, temendo represália, preferiram esperar o término das provas de final de ano.Eles disseram que tiveram suas bolsas e mochilas revistadas. Como nada foi encontrado, teriam sido obrigados a tirar as roupas. Os rapazes em uma sala e as moças - duas - em outra. O dinheiro não foi encontrado, mas eles teriam sido obrigados a ratear o valor.A delegada Telma Araújo vai apurar o caso, ouvindo, primeiramente, os professores e o coordenador, Sérgio Belo. A direção do Senai distribuiu nota em que considera gravíssima a denúncia de constrangimento e intimidação aos alunos. Garante que, se confirmado, o fato fere frontalmente a proposta educacional do Senai e promete tomar medidas administrativas e judiciais. Uma comissão especial do Senai também irá investigar a denúncia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.