Alunos participam de manifesto pela paz

Alunos do Educandário Nossa Senhora do Carmo, no Tucuruvi, zona norte de São Paulo, cantaram, dançaram e representaram para pedir a paz mundial, em evento ecumênico realizado hoje na escola. Participaram da manifestação o padre Júlio Lancellotti, o pastor Fernando de Carvalho, o sheik Salaheedine Ahmad Sleinain e o orador kardecista Miguel de Jesus Sardano.Segundo Evaldo Lima, diretor da escola, a idéia do manifesto surgiu por causa do interesse das crianças pelo assunto após os atentados de 11 de setembro. "Pesquisando e debatendo, descobriram que a violência não é só a guerra, mas também a pobreza, falta de moradia, transporte e problemas ambientais. Quiseram também mostrar que, apesar das diversas crenças, podemos viver em paz", explicou.O representante da Congregação Islâmica, sheik Sahaheedine, ressaltou que a religião muçulmana repudia os atentados nos Estados Unidos, "pois quem mata uma pessoa, é como se tivesse matado a humanidade inteira. Mas precisamos lembrar que o terrorismo não nasceu em 11 de setembro e não é porque atingiu determinadas pessoas que ele é diferente. A maior causa dos problemas mundiais é a exclusão social", disse. Para o padre Júlio Lancellote, "todos os povos devem procurar uma cultura de tolerância, sem tentar destruir quem pensa diferente, mas colocando limites em quem quer destruir o outro".Depois de ouvir os religiosos e encerrar o encontro com Imagine, de John Lennon, os alunos distribuíram rosas aos convidados. "Podemos não conseguir melhorar tudo, mas um pedaço do mundo pode ficar melhor", disse Andressa Constante, 11 anos, aluna da 5a série. "Queremos mais consciência para que a humanidade pare de fazer guerra", completou a amiga Natália Soldatelli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.