Alunos seqüestram diretora de escola em Londrina

A diretora da Escola Estadual Mungo Genes, em Londrina, no norte do Paraná, Maria Fátima Gonçalves, foi seqüestrada e abandonada em um trecho da rodovia BR-445, a 30 quilômetros de Londrina, por quatro assaltantes. Pelo menos dois deles, com idades de 15 e 17 anos, são alunos da escola que ela dirige no Conjunto Habitacional Jamile Dequech, na periferia da cidade. O terceiro assaltante preso não teve o nome divulgado e suspeita-se que o quarto participante, que continua foragido, também estude na escola. Maria Fátima contou que foi abordada na noite de terça-feira, 3, quando chegava em casa e se preparava para abrir o portão da garagem. Assustada, foi colocada dentro do carro e depois abandonada 30 quilômetros do local. "Nunca vi nada igual na minha vida, na minha carreira profissional. Ser rendida pelos próprios alunos, em uma cidade do porte de Londrina. Não volto mais para a escola", desabafou. Esse é o terceiro caso nos últimos 15 dias que coloca em xeque a segurança na Educação. Esses problemas geraram no início da semana um encontro em Londrina, de professores e orientadores para debater o assunto. Na semana passada um aluno de 18 anos quebrou o braço de uma professora com uma barra de ferro. Enquanto ela se recupera, cogita não voltar mais para as salas de aula. Outro caso levado ao conhecimento do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná (APP - Sindicato) envolve uma professora que teve seu veículo totalmente riscado após uma discussão com um estudante. Por causa do ocorrido, a escola que Maria Fátima coordena não abriu nesta quarta e deve permanecer fechada durante a semana.

Agencia Estado,

04 Abril 2007 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.