Alves seria condenado a menos de 6 anos

Para o criminalista Mário de Oliveira Filho, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Alves não passará mais do que 6 anos preso. Segundo o advogado, ele responderá pelos crimes de seqüestro e invasão de domicílio, disparo e porte ilegal de arma de fogo. Alves também pode ter um alívio na pena por não ter antecedentes criminais. "Como ele é réu primário, em caso de condenação o juiz certamente dará a pena no patamar mais baixo. O juiz é que dosará essa pena." A prisão para o crime de seqüestro varia de 1 a 3 anos.Mesmo que Eloá retire a queixa, o rapaz não será beneficiado. É o que explica a advogada Daniela Aparecida dos Santos. Ela afirma que esse crime é de ação penal pública, e o titular da ação é o Ministério Público Estadual (MPE), e não a seqüestrada. Com o desfecho do caso, o promotor público poderá verificar se houve agressão física contra a garota e seus amigos e oferecer denúncia à Justiça. Será ainda questionado se a jovem passou por sofrimento moral. Se for constatado que sim, esse fato também será denunciado.Os seqüestros ou cárceres praticados contra menores têm penas mais duras. Nesse caso, o tempo de prisão vai de 2 a 5 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.