Amazonas declara emergência na pior inundação em 54 anos

O nível dos rios Negro e Solimões aproxima-se do nível máximo registrado pela última vez em 1955

EFE,

16 de abril de 2009 | 13h29

O Estado de Amazonas foi declarado em "estado de emergência" pelo governador Eduardo Braga, por causa das inundações que são consideradas as piores dos últimos 54 anos, ameaçando 175 mil pessoas.

 

linkNorte e Nordeste têm 5,8 mil desabrigados

documento Alerta de cheias do Serviço Geológico do Brasil

 

"A situação é muito grave e milhares de famílias serão desalojadas", disse o governador, especificando que as enchentes atingem 24 municípios e devem afetar também a capital Manaus, prejudicando inclusive a atividade industrial na zona franca.

 

Segundo o Serviço Geológico do Brasil, o nível dos rios Negro e Solimões pode vir a superar a altura máxima registrada pela última vez em 1955, quando parte da região ficou debaixo da água.

 

A Defesa Civil prevê que cerca de 50 mil pessoas que vivem em áreas ribeirinhas de Manaus terão que ser desalojadas nos próximos dias.

 

No interior do Estado, outras 34 mil pessoas já foram afetadas direta ou indiretamente pelas inundações, que podem levar inclusive à mudança temporária de mais 90 mil pessoas.

 

O departamento de Defesa Civil anunciou o envio de 312 toneladas de alimentos, enquanto o Ministério da Saúde se prepara para levar equipamentos médicos, remédios e vacinas às cidades onde que a situação é mais grave.

 

Além disso, as autoridades enviarão colchões e roupas para ajudar os desabrigados.

 

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, advertiu também sobre uma possível escassez de água potável na região.

 

Segundo o serviço meteorológico, as previsões indicam que as fortes chuvas durarão pelo menos mais sete dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.