Ambulantes do Largo 13 protestam contra expulsão

Cerca de 100 camelôs expulsos do Largo Treze de Maio, em Santo Amaro, fizeram manifestações contra a ação da prefeitura no local, nesta quarta-feira, 25. Durante todo o dia, eles fizeram passeatas pelas ruas da região. A cada passagem dos manifestantes os lojistas baixavam as portas. De acordo com a Polícia Militar, não houve episódios de violência. Desde o início da semana passada, uma operação conjunta entre a Subprefeitura de Santo Amaro, a Guarda Civil Metropolitana e as polícias Militar e Civil está retirando os mais de 2 mil ambulantes do local. A próxima ação aconteceria a partir das 22h desta quarta, com a retirada dos quiosques das ruas Capitão Tiago Luz e José Bonifácio. ?Não está tendo negociação com a subprefeitura?, reclamou Archimedes Santos, que trabalha no Largo Treze há 9 anos. A maior preocupação é com o desemprego. ?Só na Tiago Luz tinham 78 quiosques registrados, cada um com pelo menos um funcionário. É muita gente sem trabalho, sem contar a queda de movimento nas lanchonetes.? De acordo com Carlos Bernardi, coordenador da Subprefeitura de Santo Amaro, os ambulantes têm a opção de trabalhar no Pop Centro, local construído para os camelôs, ir a um shopping popular privado ou mudar para a Praça Salim Farah Maluf, que já tem cerca de 80 barracas. ?Esse espaço será reformado para abrigar 320 barracas?, afirma Bernardi. Ele reconhece, no entanto, que não há lugar para todos. Para Moacir Sena, presidente da Associação de Vendedores Ambulantes da Zona Sul, a praça deveria ter sido reformada antes . ?Nem começaram a obra ainda?, afirma. Ele diz que os quiosques retirados nesta noite foram autorizados pela Subprefeitura. Uma comissão dos ambulantes foi recebida na Subprefeitura para apresentar projetos para os ambulantes. Uma das propostas é a permissão para que os ambulantes trabalhem em horários específicos. A outra é a montagem de uma feira aos sábados. ?As sugestões serão avaliadas, mas por enquanto a operação continua?, diz Bernardi.

Agencia Estado,

25 Abril 2007 | 21h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.