Ambulantes e fiscais se enfrentam em SP

A localização de algumas barracas na Rua 12 de Outubro, na Lapa, causou confronto entre um grupo de ambulantes e fiscais da Prefeitura, hoje à tarde. De acordo com uma testemunha, os fiscais ordenaram a remoção de algumas bancas de correntinhas folheadas a ouro que estavam armadas no meio do asfalto, e que deveriam estar junto à calçada. Diante da resistência dos proprietários, eles teriam cercado os camelôs, ameaçando destruir as barracas. "Fui cercado por uns 20 homens e só não apanhei porque meus colegas impediram", afirmou o ambulante Sebastião Ferreira da Silva. "Eles diziam que iam quebrar tudo. Fiquei com muito medo", emendou a vizinha de banca, Mara Vieira dos Santos. A Polícia Militar chegou a ser acionada, mas ao chegar ao local, o tumulto já estava encerrado.Silva e outro vendedor conhecido como Edu tiveram as mercadorias apreendidas. "Levaram umas cem correntinhas. É um prejuízo de uns mil reais", disse Silva. Ele planejava ir até a subprefeitura na manhã de hoje para resgatar os produtos, mas temia pelo destino da carga. "Da última vez que levaram minhas bijuterias, devolveram somente a metade." Segundo o subprefeito da Lapa, Adaucto José Durigão, o acordo provisório firmado com os ambulantes que atuam na Rua 12 de Outubro prevê que as barracas sejam montadas apenas no meio-fio, e os fiscais têm orientação para autuar aquelas que não estejam dentro da norma. "Aquele lugar é uma verdadeira baderna, precisamos pelo menos garantir que as pessoas tenham um lugar para circular", disse.Levantamento da subprefeitura indica que aproximadamente 3 mil ambulantes atuam na Rua 12 de Outubro, que tem os últimos dois quarteirões fechados ao tráfego. Mas de acordo com Durigão, esse número deve cair para cerca de 800 até o final do mês. "Estamos atualizando os cadastros e identificando aqueles que estão em condições de receber o Termo de Permissão de Uso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.