Ameaça faz com que pais de Cabral recebam escolta policial

Os pais do governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, são acompanhados por dois policiais da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar desde o início da semana. A segurança foi providenciada após informes de que a família de Cabral poderia ser alvo de atentados praticados por facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas no Estado. Uma informação anônima recebida pelo Disque-Denúncia foi verificada pelos serviços de inteligência da Secretaria de Segurança Pública. Após ouvir os relatos dos policiais, o secretário da Casa Civil, Régis Fichtner, determinou que a Coordenadoria Militar do Palácio Guanabara providenciasse imediatamente seguranças para os pais do governador. A primeira-dama, Adriana Ancelmo, e os filhos já contam com escolta. Jornalista, historiador e atualmente conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM), Sérgio Cabral e sua mulher Magaly, pais do governador, não foram encontrados. A assessoria do TCM informou que ele se encontra em São Paulo e retorna ao Rio apenas na segunda-feira. Os pais do governador serão acompanhados por homens do mesmo batalhão que Guaracy Oliveira da Costa, de 27 anos, segurança dos filhos do governador, assassinado em um assalto na zona norte da cidade no dia 9 de março. Após o velório do policial, Cabral anunciou que pediria a presença das Forças Armadas no Rio. O pedido foi aceito pelo governo federal e atualmente é negociado com os comandantes militares.

Agencia Estado,

20 Abril 2007 | 18h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.