Americano conseguiu visto para filho no Paraguai

O consulado dos Estados Unidos no Paraguai informou ao Itamaraty, no início da noite desta quinta-feira, 23, que concedeu visto de entrada nos Estados Unidos para o garoto Kayden Croff, de 2 anos, que foi seqüestrado pelo pai, o americano William Benjamim Croff, 43 anos, em Itabuna, onde vive a mãe do menino, Priscilla Soares Silva, de 22 anos. Os diplomatas americanos no Paraguai pediram desculpas pela emissão do documento e alegaram não saber que se tratava de um garoto retirado da guarda da mãe ilegalmente. Agora, o Itamaraty vai comunicar o fato às autoridades americanas para que Kayden seja repatriado ao desembarcar nos EUA.SeparaçãoPriscilla morava nos Estados Unidos com William, mas separou-se com a alegação de que ele a maltratava. Logo após retornar ao Brasil, obteve a guarda do filho, o que deixou o americano transtornado. Em um dia de visita decretada pela Justiça, William sumiu com o garoto. O advogado de Priscilla, Pedro Vivas, acredita que o americano conseguiu fugir com o filho até o Paraguai onde estaria refugiado na embaixada dos Estados Unidos, aguardando um visto da Justiça americana para voltar ao seu país com o garoto. Funcionários da embaixada e a Polícia Federal não forneceram qualquer informação sobre o caso ao advogado de Priscilla.Em Itabuna, Willian Croff está sendo acusado de "subtração de incapaz", mas o inquérito pode ser transformado em seqüestro. A Justiça enviou circular para os aeroportos internacionais do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, informando a proibição do embarque para o exterior de Kayden, cujo nome foi incluído no Sistema Nacional de Procurados e Impedidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.