Americano que chega a Recife não suja os dedos

Os norte-americanos que chegarem ao Brasil pelo Recife não precisam mais passar pelo constrangimento de sujar os dedos de tinta e pela espera de até 30 minutos para serem fichados como determinou a justiça. Primeiro Estado brasileiro a usar sistema de identificação eletrônica, o equipamento começou a funcionar ontem no Aeroporto dos Guararapes, cedido à Polícia Federal pela secretaria estadual de Defesa Social (SDS). Dez norte-americanos que chegaram pela manhã no Aeroporto Internacional dos Guararapes, em um vôo fretado, foram fichadosnum tempo médio de três minutos tirando a foto num computador e registrando as impressões digitais num scan live (máquinaque registra impressões de seres vivos). Os estrangeiros, que vieram a negócio, aprovaram o processo, considerando-o eficiente. O equipamento foi adquirido há um ano pela secretaria para fazer identificação criminal, fichando pessoas autuadas emflagrante e com mandado de prisão antes de serem presos. De fabricação alemã, marca Afis, custa cerca de US$ 15 mil e éconsiderado o que há de mais moderno na identificação de pessoas. Dotado de microcomputador, máquina fotográfica e livescan, o equipamento consegue comparar 96 pontos da impressão digital, sendo um instrumento importante na investigação decrimes. O sistema a tinta compara 16 pontos das digitais. A secretaria teve a iniciativa de oferecer o sistema à Polícia Federal diante da polêmica criada com a determinação da justiça.Ele deverá ser devolvido na próxima semana, quando a PF-PE espera receber equipamento similar. Sem vôo direto para osEstados Unidos, poucos norte-americanos têm o Recife como ponto de chegada. Até agora 11 deles foram fichados na cidade -um sujando o dedo e os 10 de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.