Americano que matou brasileira foi condenado à morte

Um californiano de 33 anos que estuprou, matou e mutilou uma brasileira com quem dividia apartamento foi condenado à morte nesta terça-feira. O juiz da Corte Superior Michael Wellington, de San Diego, Califórnia, decretou a pena de morte de Calvin Parker pelo assassinato de Patrícia Gallego, de 29 anos, em 12 de agosto de 2000, afirmando que o crime foi motivado por uma combinação fatal de amor, luxúria e fúria.A vice-promotora distrital Brenda Daly disse que Parker teria planejado cuidadosamente o assassinato de Patrícia, que havia emigrado em 1997 para estudar inglês e trabalhar como garçonete nos Estados Unidos.Há a suspeita de que ele tenha matado a brasileira para pegar suas economias. Parker foi preso quando tentava descontar um cheque de Patrícia. Ele já havia retirado US$ 350 da conta dela. Segundo a promotoria, o californiano algemou, vendou e estuprou a brasileira, e depois a golpeou na cabeça, cortou sua garganta e arrancou os dedos dela com um alicate.O corpo foi encontrado em Carlsbad, subúrbio do norte de San Diego, e os dedos, em uma lata de lixo atrás de um pet shop em outra parte da cidade.Parker, que foi condenado em julho por assassinato em primeiro grau sob circunstâncias especiais, leu uma longa declaração acusando seus advogados e promotores de conspiração. Os advogados de defesa argumentaram que a vida de Parker deveria ser poupada em razão de sua infância traumática, quando ele teria sofrido abusos de sua mãe e sido molestado sexualmente por um vizinho, aos 6 anos. "Acho que nunca saberemos o que fez o senhor Parker fazer o que fez", disse o advogado Richard Gates.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.