Marcelo Lelis/Agência Pará
Marcelo Lelis/Agência Pará

Americanos encontrados no Pará após 2 dias desaparecidos devem voltar aos EUA

Família viajava pelo Brasil desde 2012 e, no último domingo, balsa em que estava foi atacada; casal prestou depoimento nesta sexta

O Estado de S. Paulo

03 Novembro 2017 | 22h10

A família de americanos que foi encontrada em uma região de mata no Pará, nesta quarta-feira, 1º, após ficar dois dias desaparecida, deve voltar aos Estados Unidos. A informação foi dada pela delegada Vanessa Macedo, da Polícia Civil do Pará, depois que o casal Adam Harteau, de 39 anos, e Emily Harteau, de 37, prestaram depoimento nesta sexta, 3. 

Adam e Emily depuseram na sede da Delegacia Geral de Polícia Civil, em Belém. O casal e as duas filhas - de 3 e 7 anos de idade -  foram localizados por ribeirinhos e resgatados por policiais civis e militares ao final da tarde de quarta, 1º, no distrito do Curumu, zona rural da cidade de Breves, região de Marajó.

A família estava desaparecida desde domingo, depois que a balsa em que estava foi abordada por assaltantes no Rio Furo Grande - caminho entre Belém a capital amapaense. Segundo informações apuradas pela Polícia Civil, a família fugiu logo após o roubo para preservar a integridade do grupo. O receio era de que fossem vítimas de novos crimes.

Fuga. Segundo informações do governo paraense, Adam, que é surfista, preparou uma prancha de stand up para que a família pudesse deixar a balsa. Eles, então, entraram na mata e foram encontrados por equipes de resgate da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) perto da confluência dos rios Boioçu e Companhia.

A família foi levada ao Hospital Regional de Breves. De acordo com o governo paraense, as crianças apresentavam quadro febril, desidratação, picadas de insetos e insolação. Adam tinha apenas uma reação alérgica branda e Emily apresentava sinais de insolação e leve torção no membro inferior, por um trauma anterior à fuga. 

Nesta sexta-feira, a família deixou o Estado do Pará e viajou para Brasília, de onde deve pegar um voo de volta aos Estados Unidos. A data da viagem, no entanto, não foi informada. A família viajava em uma van pelo continente americano, vindos da Califórnia, desde 2012. A filha mais nova do casal, de 3 anos, nasceu no Brasil.

Ataque. Segundo a delegada Vanessa, quatro piratas foram identificados, mas apenas três foram reconhecidos como responsáveis pelo ataque à balsa. Na semana que vem, a polícia paraense deve ouvir mais testemunhas, entre elas os integrantes da tripulação da balsa. /COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.