Americanos oferecem recompensa por informações de brasileira

As autoridades americanas estão oferecendo uma recompensa de US$ 2 mil para quem fornecer informações sobre a universitária paranaense Carla Vicentini, desaparecida nos EUA desde 9 de fevereiro, quando foi vista saindo de um bar com um americano. A polícia divulgou um retrato falado do homem.A recompensa foi anunciada pelo xerife do Condado de Essex, o luso-americano Armando Fontoura. A medida faria parte do programa Crimestoppers (Lutadores contra o crime). Fontoura afirmou ao jornal Brazilian Voice, direcionado à colônia brasileira nos EUA, que Carla foi vista pela última na madrugada do dia 9, deixando o bar Adega Grill & Bar, na 130 Ferry Street, em Newark.Retrato-faladoDe acordo com testemunhas, a brasileira teria deixado o local em companhia de um homem com cerca de 30 anos, de cabelos grisalhos e olhos azuis. O retrato-falado do americano foi distribuído em vários pontos da cidade.Durante entrevista ao jornal, Orlando Vicentini, pai de Carla, apelou pela ajuda dos brasileiros que vivem nos EUA e das autoridades americanas: "Estamos muito chocados. Estamos colocando (o caso) nas mãos de Deus", disse. Orlando argumentou ainda que, após a repercussão da notícia do desaparecimento da filha na imprensa, várias pessoas e instituições se ofereceram para ajudar nas buscas. Ontem, o deputado federal Hermes Parcianello (PMDB-PR) solicitou à Câmara dos Deputados que parlamentares sejam enviados aos EUA para acompanhar de perto as investigações sobre o paradeiro de Carla. Na semana passada, o FBI (polícia federal) dos EUA entrou nas investigações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.