Amigos e parentes homenageiam Gabriel Buchmann

Brasileiro fazia uma trilha em um parque no Malavi; ele foi visto pela última vez em 17 de julho

Talita Figueiredo, de O Estado de S. Paulo,

08 Agosto 2009 | 13h09

Foto: Marcos Arcoverde/AE

 

Mais de 50 amigos e parentes do economista Gabriel Buchmann, de 28 anos, cujo corpo foi encontrado esta semana no Monte Moulanje, no Malaui, fizeram uma homenagem ao carioca neste sábado, 8, na praia de Ipanema. "Onde quer que você esteja, meu filho, sei que está bem", disse a mãe, Fátima Buchmann, que estava muito emocionada. "Ele adorava a natureza, não poderíamos ter escolhido outro lugar para homenageá-lo", disse o amigo Pedro Hemsley.

 

Buchmann foi visto pela última vez em 17 de julho, quando fazia uma escalada e estava a cerca de 600 metros do cume da montanha. O tempo mudou, ele teria se perdido e morreu de hipotermia. O corpo foi procurado por equipes do Malaui e por canadenses especialistas em buscas. O economista fazia uma viagem pelo mundo, passaria ainda por Moçambique e voltaria ao Brasil em seguida. O corpo de Buchmann chega no domingo, 9, ao Rio, será velado no cemitério Memorial do Carmo, no Caju (zona oeste) e cremado na segunda-feira, 10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.