Ampliação de Cumbica deve começar até março

O Aeroporto Internacional de São Paulo em Cumbica, Guarulhos, será ampliado, com a construção de um terceiro terminal e uma terceira pista para pousos e decolagens.A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) prevê que tudo estará pronto em 2008, aumentando a capacidade do aeroporto para 26 milhões de passageiros por ano - a atual é de 14 milhões. Já em 2005, metade do terminal deverá estar operando, com um ganho de capacidade de 6 milhões de passageiros por ano.A ampliação foi aprovada nesta quarta-feira pelo Conselho de Administração da Infraero. As obras devem começar entre janeiro e março. O edital de construção do terminal, incluindo o novo pátio para aviões e a garagem para carros, será lançado nos próximos meses. O custo é estimado em R$ 755 milhões, que serão pagos pela Infraero.A nova pista, orçada em R$ 440 milhões, deverá ser iniciada em 2003 e concluída em 2006, mas depende ainda da desapropriação de terrenos adjacentes.Ela ficará na frente do aeroporto, em área que já pertence à Infraero, do outro lado da Avenida Hélio Smidt - que dá acesso aos terminais.Com 2 mil metros, a pista poderá atender a aviões de pequeno e médio portes. "O movimento de passageiros cresce em média 8% ao ano no País e se concentra em São Paulo", disse o diretor de Engenharia da Infraero, Antonio Justi.Enquanto o Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Rio, opera com menos da metade da sua capacidade, o de São Paulo, em Guarulhos, está perto de seu limite máximo, e o de Congonhas, completamente estrangulado, sem condições de crescer. Para fazer frente à demanda em Guarulhos, a Infraero já está investindo R$ 51 milhões na ampliação das atuais pistas e na criação de pátios para aviões.Essas pequenas obras deverão ser terminadas no ano que vem, elevando a capacidade do aeroporto para 16,8 milhões de passageiros por ano. Até a conclusão do terceiro terminal e da terceira pista, segundo Justi, a empresa continuará incentivando as companhias aéreas, em especial nos vôos internacionais, a preferir o aeroporto carioca, onde há capacidade disponível."O que são 400 quilômetros de distância para quem vem da Ásia ou da Europa?", perguntou o diretor de Engenharia.O aeroporto foi inaugurado em 20 de janeiro de 1985, depois de consumir US$ 550 milhões, aberto apenas para vôos internacionais.Na época, o local dispunha de um terminal para atender 7,5 milhões de passageiros por ano e uma pista de 3 mil metros. Em agosto, o aeroporto passou a receber também vôos nacionais. Uma nova pista foi inaugurada em janeiro de 1989, com 2.500 metros. O terminal 2 foi construído em quatro etapas, a primeira concluída em dezembro de 1991, e a última em julho de 1993, melhorando o embarque e desembarque dos vôos internacionais.A Infraero anunciou também que lançará neste mês o edital para a ampliação das salas de embarque, balcões de check-in e instalação de oito pontes (corredores de acesso) entre o terminal e os aviões e garagens no Aeroporto de Congonhas.Essas obras de ampliação vêm sendo criticadas desde que foram anunciadas por urbanistas e moradores do bairro, que temem o impacto negativo na região. O presidente do MoviBelo, entidade formada por moradores de Campo Belo, Antônio Cunha, ressaltou na semana passada, após o acidente com o bimotor Navajo, que Congonhas tem como áreas de escape dos aviões, de um lado, um viaduto da Avenida Bandeirantes e, de outro, um barranco na Avenida Pedro Bueno. "Aquilo lá não é mais um aeroporto, mas um porta-aviões", comentou. As obras, segundo o diretor de Engenharia da Infraero, Antonio Justi, têm como objetivo melhorar as "condições de conforto" dos passageiros e deverão ser concluídas em até dois anos. O investimento será de R$ 32 milhões. Com capacidade para 7 milhões de passageiros por ano, Congonhas movimentou 10,5 milhões de pessoas em 2000. Justi considera a possibilidade de que parte desse movimento seja transferido para o aeroporto de Guarulhos, após a sua ampliação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.