Denilton Dias/O Tempo
Denilton Dias/O Tempo

Ana Hickmann sofre atentado a tiros em hotel de Belo Horizonte

Fã invadiu quarto da apresentadora e disparou contra ela, acertando assessora que está internada em estado grave; agressor foi morto

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

21 Maio 2016 | 18h50

BELO HORIZONTE - Um fã tentou assassinar hoje a apresentadora de televisão Ana Hickmann, em um quarto de um hotel de Belo Horizonte. O agressor foi identificado como Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos. Ele foi morto por um integrante da equipe dela dentro do quarto do hotel Caesar Business. Uma assessora foi baleada duas vezes e está internada em estado grave. A apresentadora passa bem e os motivos da agressão ainda estão sendo investigados.

Segundo informações da Polícia Militar, Pádua chegou ao hotel onde Ana Hickmann estava hospedada no início da tarde e se hospedou no quarto 1305. Em determinado momento, seguiu até o hall do elevador e dominou o cunhado e assessor da apresentadora, Gustavo Corrêa, obrigando-o a levá-lo ao quarto onde a apresentadora estava hospedada. Também assessora, Giovana Oliveira a acompanhava. Os três foram colocados sob a mira de um revólver.

Segundo o capitão da Polícia Militar Flávio Santiago, o assessor da apresentadora começou a discutir com Pádua sobre suas intenções. “Ele falava palavras desconexas e aparentava sofrer algum tipo de confusão mental”, disse. Pelo que se apurou, o alvo de toda a sua fúria seria a apresentadora, alvo de xingamentos e queixas confusas.

Em determinado momento, o homem armado pediu que o casal e Ana Hickmann se virassem de costas. “Corrêa se recusou e começou a discutir com ele”, conforme relatou o capitão Santiago. Teria sido nesse momento que Pádua atirou duas vezes. As balas acertaram a assessora de Ana no ombro e na barriga. Corrêa, então, começou a lutar com o agressor, tomou-lhe a arma e disparou três vezes, matando Pádua. O capitão Santiago afirmou que, na sequência, o próprio cunhado da apresentadora entregou a arma na recepção do hotel e pediu que a polícia fosse chamada. 

Família. O irmão do atirador, Helissom Augusto de Pádua, foi até o hotel onde aconteceu o crime, o Caesar Business, no bairro Belvedere, zona sul de Belo Horizonte, e afirmou que Rodrigo morava em Juiz de Fora, na zona da mata mineira. Helissom ressaltou que só ontem a família ficou sabendo que o irmão era fã de Ana Hickmann. “Pegamos mensagens que foram enviadas à apresentadora pelo Instagram”, disse. Nos textos, o atirador dizia que amava a apresentadora.

Helissom afirmou ainda que Rodrigo não trabalhava, “apenas fazia academia e ia para casa”. Disse ainda que deixou Juiz de Fora ontem, afirmando que iria conhecer Belo Horizonte. Ana Hickmann estava na cidade para o lançamento de um produto de sua grife. O corpo de Rodrigo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML). A Polícia Civil continua as investigações sobre o caso.

O marido de Ana Hickmann, Alexandre Correa, não falou com a imprensa. O Hotel Caesar Business lamentou “ter sido o local do ocorrido” e afirmou que está contribuindo para as investigações. O Hospital Biocor, para onde Giovana foi levada, não detalhou o estado de saúde da vítima, alegando respeitar a vontade da família.

Situação absurda. Procurada, a Record informou em nota oficial que “deseja a mais rápida recuperação de Giovana e informa que Ana Hickmann, apesar de tudo o que aconteceu, está se recuperando desta absurda situação”.

Mais conteúdo sobre:
Ana Hickmann atentado assassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.