Anac contrata assessoria de comunicação por R$ 79 mil

No centro das intermináveis crises no setor aéreo, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) contratou uma empresa de assessoria de comunicação na tentativa de melhorar a sua imagem junto à opinião pública. Por meio de um contrato emergencial sem licitação, de 30 dias, no valor de R$ 79 mil, a New Ideas Comunicação foi a escolhida para "dar suporte" aos trabalhos do quadro fixo de funcionários de comunicação da agência reguladora. A contratação do serviço terceirizado foi publicada no Diário Oficial da União do dia 28 de dezembro. A contratação da empresa foi justificada pela necessidade de ter um suporte emergencial à comunicação, nos dias do mais recente "apagão aéreo" nos aeroportos, porque uma parte dos funcionários desse setor saiu de recesso em meio à crise. Nos dias que antecederam o feriado do Natal, quando milhares de vôos voltaram a atrasar e serem cancelados, e quando se temia a repetição dos fatos no ano novo, a agência fez um levantamento de preços e escolheu o menor orçamento, com base na lei de licitações do serviço público que autoriza essas situações excepcionais. "A Anac contratou a New Ideas com o objetivo de melhorar a comunicação com os passageiros, que é realizada tanto nos aeroportos quanto no atendimento à imprensa", afirmou ontem a Anac à reportagem do Estado. A empresa New Ideas Comunicação integra o grupo de comunicação In Press que, no Brasil, tem parceria com o grupo americano de mídia e relações públicas Porter Novelli. Por trás da iniciativa, está uma tentativa de melhorar a imagem da mais nova agência reguladora do País que, desde março do ano passado quando foi criada, foi atropelada pela quebra da Varig, pela queda do avião da Gol que matou 154 pessoas, pela falta de controladores de vôo e os conseqüentes transtornos de passageiros nos aeroportos. Em todos os episódios, a Anac não conseguiu escapar de pesadas críticas à sua atuação tanto de usuários quanto de empresas aéreas. Recentemente, durante a solenidade de certificação da nova Varig, o presidente da Anac, Milton Zuanazzi, chegou a reclamar das críticas, afirmando que elas eram injustas. Mas, na semana passada, a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, admitiu que a Anac ainda precisa de mais amadurecimento, se comparada a outras agências reguladoras, ponderando que o setor aéreo ainda precisa de uma política para seu funcionamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.