Anac mantém sentença de pilotos do Legacy

Multas foram mantidas; decisão frustrou familiares das vítimas

Tiago Rogero, estadão.com.br

25 Agosto 2011 | 11h48

RIO -A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) manteve, em julgamento de 2ª instância realizado na manhã desta quinta-feira, 25, no Rio, a decisão em 1ª instância no processo administrativo movido contra os pilotos do jato Legacy, os norte-americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, acusados de serem os responsáveis pelo acidente com o Boeing da Gol, em 2006, que matou as 154 pessoas a bordo.

 

Com isso, foram mantidas as punições: multa no valor de R$ 3,5 mil aos pilotos e de R$ 7 mil à empresa norte-americana, dona do jato, ExcelAire. Em abril, na primeira fase do processo, a Agência manteve os três autos de infração emitidos: dois contra Lepore a tripulação (incluindo Paladino), e outro para a empresa.

 

A decisão em 1ª instância, mantida hoje, frustrou os familiares das vítimas, que esperavam que a punição fosse revertida e os pilotos proibidos de voar no espaço aéreo brasileiro. Os familiares também esperavam que a ANAC sugerisse a cassação do brevê dos pilotos à Administração Federal de Aeroportos (FAA, na sigla em inglês).

 

Por meio de sua assessoria de imprensa, a ANAC informou que a decisão administrativa de hoje será encaminhada à FAA, para que tome conhecimento das medidas tomadas pela Agência no Brasil.

Mais conteúdo sobre:
voo Gol Legacy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.