Anac vai investigar causas da queda de monomotor no Paraná

Acidente deixou cinco mortos na manhã de domingo; aeronave caiu no pátio de uma escola em Paranavaí

Agência Brasil,

03 de novembro de 2008 | 12h02

Técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), da unidade de Porto Alegre, chegam nesta segunda-feira, 3, a Paranavaí, noroeste do Paraná, para investigar as causas do acidente com o avião monomotor ocorrido no domingo, que causou o morte de cinco pessoas. Técnicos da Anac informaram no domingo que a documentação da aeronave estava regularizada. Na manhã de domingo, um monomotor, modelo BE-35 Beechcraft e prefixo PT-LUQ, caiu no pátio da Escola Municipal Ilda Campano Santini, no Jardim Maringá. Os cinco ocupantes da aeronave morreram - três da mesma família. Ninguém em terra foi atingido. O avião vinha de Sonora, em Mato Grosso do Sul, e seguia para Arapongas, no norte paranaense. Nesta segunda, o monomotor será avaliado por técnicos do Serviço Regional de Investigações e Prevenções de Acidentes Aeronáuticos (Seripa-5), que tem sede em Porto Alegre (RS). O objetivo é diagnosticar as condições do aparelho e as possíveis causas da queda.  Segundo o chefe da Comunicação Social da Polícia Militar, Nelson Ventura, chovia muito no município quando o monomotor modelo P35 caiu. O avião saiu de Sonora (MT) às 9h30, com destino a Arapongas, mas as fortes chuvas na região impediram o pouso. O piloto ainda tentou aterrissar no Aeroporto de Paranavaí, mas também não conseguiu devido às chuvas. Apenas o corpo do piloto ainda está no Instituto Médico Legal (IML) da cidade, aguardando a chegada da família, que é de São Paulo. Os outros corpos foram levados para Arapongas, onde serão enterrados à tarde. De acordo com Ventura, a Polícia Militar interditou o local do acidente, para preservar a área. Cerca de 250 alunos da escola onde o monomotor caiu não terão aula nesta segunda-feira. (Com informações de Julio Cesar Lima, Edison Veiga e Renato Machado, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.