Análise detecta lote de Toddynho com acidez de produtos de limpeza

Empresa já recebeu 29 notificações de pessoas com irritações na boca após ingestão do produto

Solange Spigliatti, estadão.com.br

06 Outubro 2011 | 12h04

SÃO PAULO - Após 29 notificações de pessoas registradas até a última terça-feira, relatando problemas como irritações e lesões da mucosa da boca ao ingerir o achocolatado Toddynho, em Porto Alegre e região metropolitana da capital do Rio Grande do Sul, a fabricante do produto, a Pepsico, admitiu existir falha no envasamento do produto. A empresa realizou análises e constatou em laudos analisados pelos Laboratório Central (Lacen) divulgados hoje que, entre os 13 lotes recolhidos, o pH do produto era de 13,3, alcalino, equivalente ao de produtos de limpeza como soda caústica e água sanitária. O índice é considerado muito alto para alimentos, que têm valores próximos a 7.

Segundo a assessoria da empresa, a falha no envasamento aconteceu apenas em 80 unidades do achocolatado, produzido na unidade de Guarulhos, na Grande São Paulo. Ainda de acordo com a assessoria, o problema ocorreu nas unidades de 200ml do achocolatado do lote com numeração de L4 32 05:30 a 06:30, todos com validade de 19/02/2012.

Já a Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul afirma que alguns dos consumidores que notificaram seus casos informaram terem consumido produtos de outros lotes, que ainda não foram analisados, e orienta quem tem o achocolatado em casa a aguardar que a investigação indique quais os lotes adequados e inadequados ao consumo.

Os casos ocorreram nas cidades de Porto Alegre, com nove, e Gravataí, na região metropolitana da capital gaúcha, com seis. As outras 14 notificações foram feitas em dez municípios de diversas regiões do Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.