Anastasia rebate Dilma e reforça o apoio a Serra

No dia seguinte ao assédio da petista Dilma Rousseff aos votos do PSDB mineiro, o governador de Minas, Antonio Anastasia, disse que o partido vai marchar firme para eleger José Serra presidente. Ele agradeceu os elogios da ex-ministra que causam "satisfação e orgulho" porque significam reconhecimento das realizações do governo, mas foi claro: "Com referência à questão eleitoral, quero reiterar e lembrar que o nosso partido tem candidato à Presidência e ele é José Serra. E por ele, nós mineiros, vamos trabalhar firme."

Denise Madueño, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2010 | 00h00

Anteontem, Dilma chamou Aécio Neves (PSDB), que deixou o governo do Estado para concorrer a uma vaga no Senado, de "governador exemplar" e falou em dobradinha PT-PSDB para presidente e governador, numa chapa híbrida chamada "Dilmasia" ou "Anastadilma" - junção de seu nome com o de Anastasia. Em 2006, quando Aécio foi reeleito e Lula foi o candidato à Presidência mais votado em Minas, se falava no voto "Lulécio".

Anastasia evitou comentar se a intenção da petista foi pegar carona na popularidade do governo tucano no Estado. "Esse crédito é um patrimônio do nosso partido, do PSDB, e dos partidos aliados, que compõem a nossa base política em Minas, que engloba outros partidos", afirmou. "O herdeiro desse patrimônio será José Serra."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.