Anchieta corre contra o relógio por uma liminar

Advogados do governador cassado de Roraima, José de Anchieta Júnior (PSDB), vão protagonizar hoje uma verdadeira corrida jurídica contra o relógio para tentar evitar a posse de Neudo Campos (PP) como novo chefe do Executivo do Estado. Eles terão apenas três horas para tentar obter uma decisão judicial e impedir a troca de comando.

Mariângela Gallucci / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2011 | 00h00

Anchieta entra às 8 horas com um pedido de liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A diplomação de Neudo está marcada para as 11 horas, no horário de Brasília - que, por conta do horário de verão, equivale às 9 horas em Boa Vista.

Em outubro passado , o candidato do PP perdeu a eleição por 1.759 votos para o tucano no 2º turno. Ciente de que Anchieta tentará se manter no cargo, a defesa de Campos já se preparava para rebater um provável pedido de liminar.

Uma onda de boatos tomou conta dos meios jurídicos em Brasília. Chegou a correr a informação de que os advogados de Anchieta teriam conseguido uma liminar para mantê-lo no governo de Roraima. No entanto, não houve plantão no tribunal durante o fim de semana.

Acusação. O mandato de Anchieta foi cassado na sexta-feira pelos juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Roraima. No processo, os advogados de Neudo sustentaram que o governador usou indevidamente os meios de comunicação durante a campanha para se reeleger.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.