Angolanos suspeitos de seqüestro são presos

O angolano Paulo Emanuel de Almeida Cadete, de 26 anos, e seus dois enteados, dois gêmeos de 17 anos, foram presos por policiais da 64ª Delegacia de Polícia (Vilar dos Teles, na Baixada Fluminense), suspeitos de fazer parte de uma quadrilha especializada em seqüestros relâmpago.De acordo com o delegado Jorge Luiz Diegues, os rapazes seqüestravam as vítimas. O padrasto era responsável por fazer gastos com os cartões de crédito e cheques roubados.A quadrilha foi descoberta a partir do assassinato do sargento da Polícia Militar Marco Antônio do Rego, de 36 anos, morto depois de parar numa falsa blitz da PM na Rodovia Presidente Dutra e se identificar como policial.Os criminosos ficaram com o celular de Rego, que passou a ser rastreado. O angolano foi o primeiro a ser preso. Ele foi localizado na tarde do último sábado, no Shopping Grande Rio. Além de ter sido encontrado com cartões e cheques roubados, Cadete estava com documentos falsos, em nome de Alexandre Silva.O angolano entregou os enteados, A.C.M.L, conhecido como Fiel, e A.D.M.L, o Nem Calcinha, presos nesta segunda-feira na favela do Dique, em Vigário Geral. Eles confessaram a participação na morte do sargento. Os garotos eram foragidos de Centros de Ressocialização e Assistência aos Menores (Criam).Segundo o delegado Diegues, os adolescentes também têm ligação com o tráfico de drogas. Os irmãos foram encaminhados à Vara da Infância e Juventude. Já o angolano está preso na carceragem da Polícia Interestadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.