ANJ condena agressões a jornalista cearense

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) condenou "as covardes agressões" praticadas contra o jornalista Gilvan Luiz, editor do jornal Sem Nome, em Juazeiro do Norte (CE). Três homens sequestraram e torturaram o jornalista antes de abandoná-lo dentro de um veículo. Na nota, assinada pelo vice-presidente Júlio César Mesquita, responsável pelo Comitê de Liberdade de Expressão, a ANJ diz esperar que as autoridades, além apurar o ocorrido, identifiquem os agressores e tomem providências cabíveis para sua punição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.