Ano-novo reúne mais de 2,3 milhões de pessoas em Copacabana

Durante os primeiros 16 minutos do novo ano, 24 toneladas de fogos coloriram o céu da orla carioca

Fábio Grellet e Thaise Constancio, de O Estado de S.Paulo,

31 Dezembro 2013 | 20h38

Atualizado no dia 1/1/2013, às 14h22

RIO - A tradicional queima de fogos de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, para celebrar a chegada de 2014 reuniu cerca de 2,3 milhões de pessoas, sendo 767 mil turistas. A Polícia Militar escalou 1,5 mil agentes para garantir a segurança da festa. Durante os primeiros 16 minutos do novo ano, 24 toneladas de fogos coloriram o céu da orla carioca.

Vinte atrações musicais comandaram o público em três palcos nas areias de Copacabana. Com uma trilha sonora romântica, sons de beijos e 100 corações de fogos no céu, os casais começaram o ano com um “beijaço”.

Entre as 17h do dia 31 de dezembro e 5h30 do dia 1º de janeiro, 889 pessoas foram atendidas em cinco postos médicos ao longo da praia de Copacabana. Desse total, 48 precisaram ser encaminhadas para hospitais. A quantidade de atendimentos foi 23% menor do que na festa do ano passado, quando 1.162 pessoas procuraram as unidades médicas.

A prefeitura distribuiu 300 banheiros químicos ao longo de pouco mais de 4 km de extensão da orla de Copacabana para atender mais de 2,3 milhões de pessoas. A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (COMLURB) convocou 1,5 mil garis para limpeza da orla. Somente em Copacabana foram recolhidas 368,2 toneladas de lixo, sendo 27,2 toneladas de material reciclável. A quantidade é 9,45% menor do que a recolhida no Ano-Novo de 2013.

Além de Copacabana, outros bairros das zonas sul, oeste e norte, além de Niterói, na região metropolitana, e municípios da Baixada Fluminense organizaram festas e shows para cariocas e visitantes.

Personagens. A advogada Maria Fernanda Barros, de 27 anos, e seu marido Alex Barros, de 29, moram em Palmas (TO) e visitam o Rio pela primeira vez. Eles chegaram à praia às 17 horas, já preparados para permanecer até a virada, e se instalaram bem perto do palco principal da festa. "Amigos que já estiveram no Rio deram dicas para que a gente garantisse vaga na areia, então trouxemos comida, bebida e cadeiras", disse Alex, mostrando as cinco garrafas de espumante guardadas em um isopor.

O argentino Pablo Hernandez, de 25 anos, viajou para o Rio com um grupo de seis amigos da mesma nacionalidade. "Essa será a primeira festa que faremos no Rio. Em junho tem mais", provocou, referindo-se à Copa do Mundo, cuja decisão será disputada no estádio do Maracanã, na zona norte. "A seleção argentina vai ser campeã", previu, sob aplausos dos amigos portenhos.

Mais conteúdo sobre:
ano novo copacabana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.