Antes da fama, cursos no Senai e na Itália

Especializações abriram oportunidades na Inglaterra

O Estadao de S.Paulo

15 de dezembro de 2007 | 00h00

O percurso do diretor de Criação da Calvin Klein, Francisco Costa, até se tornar o designer preferido de algumas das celebridades mais famosas de Hollywood - entre elas Scarlett Johansson, Lindsay Lohan, Keira Knightley e Ashley Olsen - dá pano para manga. Depois de terminar o colegial em Juiz de Fora, Costa foi ao Rio para fazer o curso de malharia e confecção do Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil do Senai. Dois anos depois, passou férias com amigos na Flórida e em Nova York. "Quando cheguei aqui tive uma visão do que eu queria fazer da minha vida. Investi todo o meu dinheiro em um curso de inglês no Hunter College para conseguir um visto de estudante e poder ficar mais tempo", conta. À noite freqüentava um curso de especialização no Fashion Institute of Technology (FIT). Foi então que, por acaso, viu um pôster de um concurso para estudar em Como, na Itália. Costa desenhou uma coleção e se inscreveu. "Foi isso que deu uma reviravolta na minha vida", diz. Depois do processo de seleção, que envolvia um desfile, Costa foi um dos 15 escolhidos para o premio Idea Como/Young Designers of America. Na volta, conseguiu uma bolsa do FIT para freqüentar o curso de graduação. Quando recebeu seu diploma, ele já estava empregado por Herbert Rounick, cuja empresa, a He-Ro Group, fazia vestidos para Oscar de la Renta e Bill Blass. Ele foi migrando para a Oscar de la Renta e acabou passando cinco anos na empresa. "Foi lá que aprendi a usar a cor. O Oscar gostava de laranja, rosa, vermelho." Em 1998, um headhunter o colocou em contato com Tom Ford, da Gucci. "Não tinha portfólio preparado, nada. Então fui buscar inspiração na exposição Three Women (Madeleine Vionnet, Claire McCardell e Rei Kawakubo) no Met (Metropolitan Museum of Art) e passei a noite desenhando."Tom Ford o contratou e Costa passou um par de anos em Londres trabalhando na Gucci como designer sênior especializado em vestidos de gala e modelos exclusivos. "Com o Tom, aprendi a preparar as coleções para o show, para as câmeras, para uma atmosfera cinematográfica", diz.Apesar de gostar de Londres, Costa estava com saudades dos amigos e do namorado John DeStafano, um treinador de cavalos, que ele havia deixado em Nova York. Voltou e, em pouco tempo, foi contratado por Calvin Klein, com quem trabalhou diretamente até se tornar o principal desenhista da casa em 2003.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.