Anticiclone é causa do forte calor e alta radiação

Um ciclone diferente que impede a formação da nebulosidade e deixa o céu azul é a causa de tanto calor. Chamada de anticiclone, a massa de ar quente e seca que atua sobre o Sudeste do país faz com que os raios de sol não encontrem dificuldade em chegar diretamente à terra. O resultado são temperaturas altas. Por este motivo, pela falta da camada de nuvens, é que os raios ultravioleta estão atingindo níveis máximos, entre 13 e 14. "O índice está elevado, mas nada que não seja típico do verão", explica a pesquisadora do Centro de Previsão do Tempo (Cptec) do Inpe, Viviane Algarve. O índice ultravioleta é uma medida de intensidade da radiação solar, que pode provocar doenças de pele. Hoje, na capital paulista, segundo informações do Cptec, a temperatura máxima chegou a 33 graus e o índice UV chegou a 13, número considerado extremo. De acordo com a classificação, o valor máximo de radiação é de 11 a 14. "Mesmo em dias com bastante nebulosidade, a proteção é essencial", diz Algarve. Segundo a especialista, o que atenua a radiação, como se fosse um filtro, são as nuvens. "As nuvens estão sendo afastadas pelo anticiclone e com isso, o céu fica mais claro e a radiação maior". O calor é tanto que até no mar os turistas reclamaram hoje. "Está difícil agüentar este sol intenso, tem que se proteger muito para não doer a pele depois", disse a estudante Paula de Kássia Lima, de 20 anos. Na praia de Maresias, em São Sebastião, há cinco dias, ela comparou o calor à cidade de Goiânia (GO) onde mora. "Está igual Goiânia. A gente se esconde debaixo da água, debaixo do sombreiro, toma muito chá gelado, mas não tem jeito. O calor é demais". A máxima, em Maresias, chegou a 35 graus e o índice UV ficou em 13.Na tentativa de evitar casos de insolação, equipes do Hospital Regional do Vale do Paraíba fazem, a partir de sábado, um plantão nas praias Grande, Toninha, Tenório e Perequê-Açú, em Ubatuba, Litoral Norte Paulista. Os monitores vão distribuir copos de água mineral e conversar com os turistas sobre a necessidade da proteção contra os raios solares. A ação será realizada todos os finais de semana até o dia 17 de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.