Antônio Ermírio de Moraes é assaltado em casa

A residência do empresário Antônio Ermírio de Moraes, do grupo Votorantim, foi invadida neste sábado por três assaltantes armados e encapuzados. Após dominarem o motorista e o trancarem em um quarto, também dominaram a empregada e a obrigaram a dizer se havia mais alguém na casa, que fiac na Rua Gália, no bairro do Morumbi. Os ladrões então subiram para o andar superior, onde o industrial descansava. A empregada bateu na porta e Ermírio, 77 anos, atendeu, sendo surpreendido pelos assaltantes. Ermírio havia ficado em São Paulo para realizar um trabalho no escritório de sua empresa, no centro da Cidade e também no Hospital Beneficência Portuguesa, do qual é o presidente. O empresário descreveu o assalto para sua mulher, Maria Regina, que estava no litoral com os filhos e netos. A invasão da casa ocorreu por volta das 6 horas. Antonio Ermírio, segundo sua mulher, agiu com tranqüilidade, e evitou discutir com os assaltantes. Eles disseram que queriam dinheiro. Ermírio disse a eles que na casa não havia cofre na casa. Os assaltantes, passarem então a procurar jóias e encontraram vários relógios. Eles também levaram perfumes, contou a mulher do empresário: "as namoradas deles agora devem estar cheirosas."Dona Maria Regina também contou que sempre morou em casa, e nunca havia sido assaltada até agora. "Quando fomos avisados do ocorrido, voltamos de Bertioga, onde estava com alguns de meus filhos e netos. Encontrei o Antonio muito calmo. Ele agiu corretamente, e também procurou passar para nós a tranqüilidade que deve sentir", disse Maria Regina. Mas, antes de se confirmar que a casa do empresário havia sido assaltada, a informação que corria na cidade era de que ele havia sido seqüestrado. No Boletim de Ocorrência, com o depoimento de Antonio Ermírio, consta que foram roubados R$ 3 mil, o celular do motorista e algumas jóias de valor ainda não estimado. Os assaltantes levaram o motorista com o carro do empresário. O motorista foi deixado em Taboão da Serra e o carro, abandonado mais adiante, já foi encontrado pela polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.