Anulada quebra do sigilo de Kassab

Sob o fundamento de que "nenhum fato concreto foi apontado", o desembargador Correa Vianna, do Tribunal de Justiça, acolheu recurso da defesa e anulou integralmente a decisão da juíza Maria Gabriela Pavilopoulos Spolonzi Sacchi, que havia determinado a quebra do sigilo bancário do vice-prefeito eleito de São Paulo e deputado federal Gilberto Kassab, de seu sócio, o deputado estadual Rodrigo Garcia, ambos do PFL, bem como de quatro empresas de propriedade de ambos.Em seu despacho, o desembargador faz severas críticas à juíza e aos promotores da cidadania, que requereram a quebra do sigilo ante a suspeita de "enriquecimento ilícito". Para o desembargador Correa Vianna, tudo que existe são notícias vagas publicadas na imprensa, o depoimento da ex-esposa de um ex-prefeito, além de "propaganda política do mais baixo nível". Ele acusa ainda o Ministério Público de promover a "inversão de valores", pois deveriam inicialmente apurar se houve irregularidade nas evoluções bancárias dos investigados, ou se houve danos ao erário público, para somente após procurar obter informações em documentos sigilosos.O desembargador mandou a juíza Maria Gabriela providenciar imediatamente, junto ao Banco Central, as medidas necessárias para suspender a quebra dos sigilos bancários. O desembargador manteve o segredo de justiça no processo.Leia mais sobre o assunto nos links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.