Ao menos 17 são presos por envolvimento com milícias no Rio

Objetivo da operação é cumprir 30 mandados de prisão e 67 mandados de busca e apreensão

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

22 de dezembro de 2011 | 07h55

SÃO PAULO - Pelo menos 17 pessoas foram detidas nesta quinta-feira, 22, durante a Operação Lobão, da Polícia Civil, desencadeada com o objetivo de cumprir 30 mandados de prisão e 67 mandados de busca e apreensão contra três quadrilhas de milicianos que atuam na região de Brás de Pina e Cordovil, na zona norte do Rio.

Entre os mandados de prisão a serem cumpridos, dois são contra policiais civis e dez contra policiais militares, entre eles um oficial. Entre os policiais militares denunciados, três já estão presos: o chefe de uma das quadrilhas, o policial militar Anderson de Oliveira, o Mugão (preso ao tentar matar um de seus rivais), e os PMs André Luiz Menezes e Adilson Menezes, presos na Operação Herdeiros, deflagrada pela Subsecretaria de Inteligência (SSINTE) da Secretaria de Estado de Segurança (SESEG).

Para a Operação Lobão foram mobilizados 250 policiais divididos em 71 equipes e conta com o apoio da SSINTE - SESEG, das corregedorias das polícias Civil e Militar e de outras delegacias especializadas, além da DRACO - IE.

Texto atualizado às 15h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.