Ao menos 35 cidades terão protestos nesta sexta

Em SP, Passe Livre suspendeu manifestações, mas outros grupos prometem atos

O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2013 | 14h48

No dia seguinte à onda de protestos que levou mais de 1 milhão de pessoas às ruas em todo o País, com episódios de violência, novas manifestações estão marcadas para esta sexta-feira em ao menos 35 cidades.

No Rio, estão previstos atos em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e em São Gonçalo, região metropolitana. Na capital, os manifestantes devem se concentrar na Barra da Tijuca.

Em São Paulo, o Movimento Passe Livre, que já organizou sete atos desde o dia 6 de junho, anunciou que não convocará mais protestos. O motivo é a participação de ativistas de causas conservadoras não apoiadas pelo movimento. Mas outros grupos marcaram manifestações na cidade nesta tarde. Na Praça Roosevelt, no centro, integrantes do movimento LGBT farão protesto às 16 horas contra a "cura gay" e o deputado Marco Feliciano. Uma manifestação também estaria sendo organizada no Parque da Independência, no Ipiranga.

Há atos previstos em Mairiporã, em Juquitiba e em Guarulhos, que podem travar as Rodovias Fernão Dias e Régis Bittencourt e a Presidente Dutra.

Em Ribeirão Preto, um grupo marcou para as 18h30 desta sexta uma manifestação que sairá da Esplanada do Theatro Pedro II até a Avenida João Fiúsa, local em que, na noite de quinta-feira, um motorista avançou sobre a multidão, atropelando 13 e matando Marcos Delefrate, de 18 anos.

Em Avaré, os estudantes voltam às ruas nesta sexta para protestar contra a corrupção e pedir investimentos na saúde. A concentração está marcada para as 16 horas no Largo de São Benedito, região central da cidade. Em Ourinhos, os internautas convocam para manifestação contra a corrupção e por melhores serviços públicos para este sábado (22). A concentração será na Praça Mello Peixoto.

Em Agudos, uma das três cidades do Brasil que têm tarifa zero de transporte público, terá manifestação nesta sexta contra a precariedade do sistema de saúde.

Em Curitiba (PR), está prevista para as 18 horas desta sexta a terceira manifestação nesta semana para pressionar as autoridades a abrirem as contas da prefeitura, especialmente da URBS, autarquia que gerencia o sistema de transporte; além de debater a mobilidade urbana e a maior transparência na aplicação dos recursos.

O quarto protesto em Fortaleza (CE) está marcado para a noite desta sexta-feira, no Centro Cultural Dragão do Mar, na Praia de Iracema. Os manifestantes desta vez vão protestar contra a construção do Acquário Ceará, uma obra prometida pelo governador Cid Gomes (PSB) para alavancar o turismo no Estado. Os manifestantes consideram a obra desnecessária,

Pela manhã, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, a Câmara Municipal foi depredada por cerca de 100 manifestantes.

 

Tudo o que sabemos sobre:
protestostarfifa de ônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.