Ao norte, basta andar alguns metros para ver falhas

A 100 metros da Subprefeitura da Freguesia-Brasilândia, os moradores não podem aproveitar a Praça Lions Club Imirim. Os bancos estão quebrados e, no lugar das plantas do jardim, só existe terra. Mais perto ainda, a 50 metros da subprefeitura, na Rua Lima Verde, há um buraco semelhante a uma valeta na via, um risco aos motoristas. Só há uma única lixeira, quase na frente do local. Nos demais postes do bairro, ou não existem ou foram roubadas.Em Santana-Tucuruvi, os ambulantes fazem a festa a cerca de 200 metros do gabinete do subprefeito, na entrada da estação de metrô. Eles vendem de churrasquinho a CDs piratas. Na frente da subprefeitura, na Avenida Doutor Antonio Laet, há uma lixeira quebrada. Na Rua Ernani Pinto, a 200 metros da Subprefeitura Vila Maria-Vila Guilherme, uma caçamba totalmente irregular, com inscrições ilegíveis, está junto do meio-fio. A calçada também está cheia de entulho. Um pouco mais adiante, há outro grande depósito de entulho na Praça Joaquim da Nova.Bem atrás do prédio da Subprefeitura Jaçanã-Tremembé, a 100 metros, existe uma enorme valeta que causa riscos no cruzamento das Ruas Elisa Teixeira de Barros e Eugênia Bresser. Na Avenida Luís Stamatis, onde fica a administração local, lixeiras estão quebradas.A 400 metros da Subprefeitura de Pirituba existem vários buracos na Avenida Benedito Andrade. Imóveis vizinhos estão com as calçadas completamente arrebentadas, cheias de mato e sujas. No entanto, está quase tudo em ordem nas imediações da Subprefeitura da Casa Verde. Apenas na Avenida Ordem e Progresso, ao lado desse órgão municipal, o asfalto apresenta vários trechos irregulares.Procuradas, as administrações locais informaram que estão resolvendo os problemas ou notificando os responsáveis - moradores e concessionários de serviços públicos. Em Santana, alega-se "que os camelôs se deslocam com facilidade", também por causa da fiscalização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.