Manoel Lima/Secom
Manoel Lima/Secom

Aos menos nove presos morrem em confronto com a polícia após fuga e rebelião em Tocantins

Professora e agente penitenciário foram feitos reféns e continuam em poder dos fugitivos; 19 presos ainda não foram capturados

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2018 | 11h50

SÃO PAULO - Ao menos nove presos morreram em confronto com a polícia após fugirem da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota(UTPBG), em Araguaína, ao norte do Tocantins, na tarde desta terça-feira, 2. Ao todo 28 homens escaparam do presídio.

A rebelião começou às 14h40 dentro da Escola Estadual Sonho da Liberdade, que funciona na unidade prisional, quando os presos renderam a professora Elisângela Mendes Sobrinho, de 43 anos, e o chefe de plantão da penitenciária, Roberto da Silva Aires, de 27 anos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO), os dois funcionários ainda são mantidos reféns pelos fugitivos. 

 

Ainda de acordo com a SSP-TO, os presos também renderam e tomaram as armas dos agentes penitenciários. Dezenove presos continuam oficialmente foragidos. 

Policiais militares, civis e agentes penitenciários do município e da capital realizam operação de busca aos fugitivos que ainda não foram capturados e negocia a liberação dos reféns.

Segundo a SSP-TO, a unidade tem capacidade para atender 480 presos. Antes da fuga, havia no local 493 presos, distribuídos em três pavilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.