Manoel Lima/Secom
Manoel Lima/Secom

Aos menos nove presos morrem em confronto com a polícia após fuga e rebelião em Tocantins

Professora e agente penitenciário foram feitos reféns e continuam em poder dos fugitivos; 19 presos ainda não foram capturados

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 11h50

SÃO PAULO - Ao menos nove presos morreram em confronto com a polícia após fugirem da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota(UTPBG), em Araguaína, ao norte do Tocantins, na tarde desta terça-feira, 2. Ao todo 28 homens escaparam do presídio.

A rebelião começou às 14h40 dentro da Escola Estadual Sonho da Liberdade, que funciona na unidade prisional, quando os presos renderam a professora Elisângela Mendes Sobrinho, de 43 anos, e o chefe de plantão da penitenciária, Roberto da Silva Aires, de 27 anos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Tocantins (SSP-TO), os dois funcionários ainda são mantidos reféns pelos fugitivos. 

 

Ainda de acordo com a SSP-TO, os presos também renderam e tomaram as armas dos agentes penitenciários. Dezenove presos continuam oficialmente foragidos. 

Policiais militares, civis e agentes penitenciários do município e da capital realizam operação de busca aos fugitivos que ainda não foram capturados e negocia a liberação dos reféns.

Segundo a SSP-TO, a unidade tem capacidade para atender 480 presos. Antes da fuga, havia no local 493 presos, distribuídos em três pavilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.