Apac de São José volta a funcionar em julho

Um dia depois da revista em massa em 81 presídios do Estado de São Paulo, o secretário de Administração Penitenciária do Estado, Nagashi Furukawa, esteve nesta sexta-feira em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, anunciando medidas para a população carcerária da região.Assim como a Secretaria de Segurança Pública, a de Administração Penitenciária também se movimenta para mostrar serviço. Furukawa checou as reformas da Apac (Associação de Proteção e Assistência Carcerária), que deve receber, no mês de julho, 175 mulheres, atualmente detidas nas cadeias públicas de Santa Branca e Pindamonhangaba, municípios da mesma região. "Depois da transferência, as cadeias podem ser desativadas ou transformadas em locais para receber homens", afirmou o secretário.Desativado desde outubro de 1999, quando abrigava 50 homens, o prédio está recebendo investimento de R$ 856 mil por parte do Estado. Em São José dos Campos a Apac foi criada em 1972, tendo sido uma das primeiras unidades a funcionar no Estado.Agora, a entidade quer voltar nos moldes originais em que foi criada, cujo modelo é "atualmente usado por 97 países", segundo o desembargador e membro da Apac, Silvio Marques Neto. "Será tudo nos mesmos moldes, seguindo a idéia original de trabalhar a ressocialização das mulheres."A Apac deve ser inaugurada no dia 30 de julho e começará a funcionar no mês de agosto. Durante a visita, o secretário destacou a urgência da instalação de bloqueadores de celulares em mais presídios do Estado. "Na semana que vem, vamos anunciar quais os presídios que terão o sistema, que o governo vai adquirir em caráter emergencial."Furukawa foi questionado sobre os exames toxicológicos feitos no sequestrador Wanderson de Paula Lima, mas informou não saber quando sairá o resultado. "O primeiro exame feito há um mês deu negativo e estamos aguardando o resultado do próximo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.