Aparelho de TV explode em bufê em MG

A explosão de um aparelho de TV deixou duas pessoas feridas nesta quarta-feira em um bufê infantil, no bairro Funcionários, região sul da capital mineira. Suspeita-se que a explosão tenha sido causada por uma bomba colocada dentro do aparelho, de aproximadamente cinco polegadas.Por volta das 12h20, o artista plástico Claudinei dos Santos, que trabalha no bufê "Um Dois e Já", recebeu pelo correio uma encomenda em seu nome. Ao abrir o pacote, ele verificou que se tratava de um aparelho de TV, que explodiu ao ser ligado na tomada.O artista plástico sofreu ferimentos graves nas mãos, além de ser atingido no rosto, no pescoço e no tórax. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, Claudinei teve dois dedos - o médio da mão esquerda e o polegar da mão direita - arrancados. Valdete Fernandes, de 34 anos, que presta serviços para o estabelecimento, foi atingida por estilhaços e sofreu um profundo corte na barriga. Também sofreu vários ferimentos na face, no pescoço e no tórax.As vítimas foram levadas para o Hospital de Pronto Socorro João XXIII, mas não correm risco de vida. De acordo com a assessoria do HPS, o artista plástico seria submetido ainda nesta quarta a uma cirurgia nas mãos. Valdete, até o final da tarde, permanecia internada em observação.Após a explosão, o esquadrão antibombas da Polícia Militar de Minas Gerais (PM-MG) foi acionado. Um forte cheiro de pólvora e o estrago causado pela explosão reforçaram a suspeita de que uma bomba estava no interior do aparelho. O capitão do Corpo de Bombeiros, Jean Carlo Augusto, porém, não afastou a hipótese de que a explosão tenha sido causada pelos próprios componentes eletrônicos da TV.Policiais do Instituto de Criminalística da Polícia Civil fizeram uma perícia no local e nos destroços do aparelho para determinar as causas da explosão. Os médicos que atenderam Claudinei informaram que ele estava muito abalado com o acontecido e não soube dizer quem poderia ser o remetente da encomenda.Ainda confuso, ele disse apenas que, quando recebeu o pacote, acreditou ser o prêmio de um sorteio por uma compra feita há cinco meses na Galeria Ouvidor, tradicional centro comercial de Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.