Apesar da lei seca, bares vendem bebidas nas rodovias

A proibição da venda de bebidas alcoólicas às margens das estradas federais vale apenas para os grandes estabelecimentos. A reportagem não precisou percorrer ontem mais do que 15 quilômetros da Rodovia Régis Bittencourt - que liga São Paulo ao Sul do País - para encontrar pequenos bares que vendem cerveja.Enquanto restaurantes, churrascarias e grandes lanchonetes exibem na entrada um cartaz colado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) informando sobre a proibição, nos bares, os donos ou funcionários alegaram não terem sido notificados oficialmente sobre a lei seca, em vigor desde o dia 1º. Quem violar a Medida Provisória 415 é multado em R$ 1.500. Em caso de reincidência, o valor sobe para R$ 3 mil.O primeiro bar em que a reportagem conseguiu comprar cerveja fica perto do km 293 da rodovia, em Itapecerica da Serra. A dona do estabelecimento disse ter conhecimento da nova legislação. Mas alegou não ter recebido a visita de nenhuma "autoridade" que lhe informasse oficialmente sobre a proibição. "Só estou esperando acabar o estoque. Preciso vender para comprar os remédios do meu pai." Depois que acabar o estoque - algumas garrafas numa geladeira caseira -, a mulher disse que não venderá bebidas. Outro bar no km 297 funcionava com as portas parcialmente fechadas. O funcionário temia a fiscalização e hesitou em vender a bebida. "Fiquei sabendo (da proibição) pela televisão, mas não fui notificado."Enquanto pequenos bares se vêem livres da fiscalização, grandes restaurantes sofrem prejuízo com a lei seca. Marcelo Base, dono da churrascaria Prato Cheio, contava as perdas ontem à tarde. "Vendíamos aos sábados até 200 rodízios. Hoje (ontem), por causa da proibição, não vamos vender 50."Nos dois primeiros dias de proibição, pelo menos 14 comerciantes foram multados pela PRF no Vale do Paraíba. A PRF vistoriou cerca de 50 estabelecimentos nas rodovias Dutra, Lorena-Itajubá e Rio-Santos, no litoral. As estradas estaduais da região que levam ao litoral norte paulista tiveram tráfego intenso na manhã de ontem, com ligeira queda no movimento, à tarde.

Humberto Maia Junior, O Estadao de S.Paulo

03 de fevereiro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.