Apesar de alertas, governo deixa obras em Cumbica para 2008

As reformas para a recuperação de umadas pistas do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, serãoiniciadas no final de fevereiro do ano que vem, apesar deautoridades da Infraero terem considerado a obra urgente,informou o Ministério da Defesa nesta terça-feira. O presidente da estatal, brigadeiro José Carlos Pereira,disse à CPI da Crise Aérea na Câmara que a obra é urgente,apesar de ponderar que sua realização poderia "comprometer" oobjetivo do governo de transferir 151 vôos do Aeroporto deCongonhas para Cumbica. "Guarulhos com uma pista única vai comprometer todo esseprojeto e as coisas não correriam tão bem como estávamosimaginando", afirmou Pereira. Prestes a deixar o cargo, segundo informações do Planalto,o titular da Infraero também defendeu a fiscalização dascompanhias aéreas em forma de auditoria, não apenas da partefinanceira das empresas mas também na área de manutenção deaeronaves e recursos humanos. Também nesta terça-feira, o superintendente deempreendimentos de engenharia da Infraero, Armando SchneiderFilho, recomendou uma reforma imediata em uma pista deGuarulhos que tem 20 anos de uso e 3.700 metros de comprimento.Outra pista, que possui 3.000 metros de extensão, foi reformadaem 2006. "A pista está remendada. O meu temor é de que na próximaestação chuvosa, (a pista) possa apresentar anomalias, defeitosque possam inviabilizar seu uso". Schneider ressaltou, noentanto, que o local é atualmente seguro para pousos edecolagens. Pouco após o fim do depoimento de Pereira, o Ministério daDefesa divulgou nota anunciando o início das obras para o finalde fevereiro de 2008. Segundo a Defesa, o Aeroporto de Cumbica operará com 54slots por hora quando tiver as duas pistas operando, número queserá reduzido para 33 slots por hora quando apenas uma pistaestiver em funcionamento. O ministério informou também que a colocação de ranhuras napista principal do Aeroporto de Congonhas será finalizada atésetembro deste ano e que a Infraero deverá seguir asdeterminações do Conselho de Aviação Civil (Conac) para que osaeroportos de Guarulhos e Viracopos, em Campinas, recebam vôostransferidos de Congonhas. "ADRENALINA" No mesmo dia dos depoimentos, a comissão de inquéritorecebeu os dados e o áudio da caixa-preta do Airbus A320 daTAM, que se chocou contra prédios em frente ao Aeroporto deCongonhas no dia 17 de julho deixando quase 200 mortos. O presidente da Infraero descartou novamente que a pista deCongonhas tenha provocado a tragédia e disse que "não há pilotoneste país que pouse em Congonhas sem passar por um pouco deadrenalina". O remanejamento de parte dos vôos de Congonhas paraGuarulhos e a construção de uma terceira pista e um terceiroterminal de passageiros em Cumbica são apontados pelo governocomo as medidas principais para combater a crise aérea.

NATUZA NERY, REUTERS

31 de julho de 2007 | 20h25

Tudo o que sabemos sobre:
MANCHETESAEREASGUARULHOSDEFESA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.