Apesar de ataques, bancos funcionam e ônibus circulam normalmente

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) comunicou nesta quarta-feira, 12, que é normal o funcionamento dos bancos em todo o Estado, apesar dos ataques ocorridos nesta madrugada na capital paulista e na Grande São Paulo. A SPTrans, empresa que gerencia o tranporte na capital paulista, afirmou que os ônibus também continuam a circular normalmente, situação que deve permanecer durante todo o dia. Segundo nota divulgada pela Febraban, pelo menos cinco agências foram atacadas pelos criminosos. Na nota, a Febraban repudia os atentados, mas reitera sua confiança na atuação do Estado brasileiro, que dispõe dos meios apropriados para garantir a ordem pública e a segurança da população. Sindicato se pronunciaO Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região em nota divulgada nesta quarta-feira, 12, manifestou seu "repúdio e sua indignação diante dos novos ataques cometidos nesta madrugada contra agências bancárias, estabelecimentos comerciais e ônibus na capital e algumas cidades da Grande São Paulo. Foram confirmadas, na base do Sindicato - São Paulo, Osasco e 15 municípios da região de Osasco -até as 12h20, os ataques às agências do Itaú, na Rua da Mooca; do Bradesco, na Rua Tabatinguera, em São Paulo, e do Santander Banespa, na Av. dos Remédios, 779, em Osasco. Não há vítimas.O Sindicato enviou carta à Federação dos Bancos (Febraban), exigindo que as agências onde não houver condições de segurança para bancários e clientes permaneçam fechadas."É lamentável ver a situação em que se encontra a maior cidade da América Latina, o maior estado da União. Esperamos que o Estado consiga retomar o controle da situação", afirma o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino. O Sindicato informou ainda que nos ataques ocorridos não houve vítimasAgências atacadasComo nos dias 12 e 13 de maio, quando 19 agências foram atacadas, as agências bancárias voltaram a ser alvo de ataques na madrugada desta quarta-feira. Pelo menos 5 foram atacadas na capital e Grande São Paulo. Uma agência do Banco Itaú, na altura do nº 6.400 da Avenida Santo Amaro, em Santo Amaro, na zona sul da capital, e outra, do Bradesco, localizada na Rua Tabatinguera, na Sé, no centro, foram alvos também de incendiários. Uma agência bancária do Itaú, na altura do nº 2.966 da Rua da Mooca, e uma loja de carros, na altura do nº 418 da Rua Tobias Barreto, na região da Mooca, também foram parcialmente destruídas por coquetéis molotov. Nenhum bandido havia sido preso até às 5h.Em Mauá, na região do Grande ABC paulista, uma agência do Banco Itaú localizada na Avenida Presidente Castelo Branco, na altura do nº 2.368, foi atacada por volta das 3 horas da madrugada. Segundo a polícia, vidros foram quebrados e houve um princípio de incêndio. Ninguém ficou ferido. Outra agência do Itaú, na Vila Gilda, em Santo André, também na região do ABC, foi atacada. O vigilante da agência comunicou o fato à Polícia Militar quando chegou ao trabalho, por volta das 8h30. Ele notou que vários vidros do imóvel estavam quebrados. Também não há registro de feridos.Ônibus incendiadosNa cidade de São Paulo três ônibus foram atacados nesta madrugada, de acordo com a SPTrans. Dois ônibus da empresa Santa Brígida e um da empresa Fênix foram incendiados na zona oeste na manhã desta quarta-feira. Os ataques ocorreram praticamente ao mesmo tempo, por volta das 5 horas.Dois deles aconteceram na Rua Professor José Lourenço, um no ponto inicial da linha 489-A, que faz o trajeto Vila Zatti-Terminal Barra Funda, e outro da linha 847-P/41, que circula da Vila Zatti até o Itaim Bibi. Segundo a SPTrans, testemunhas afirmam que dois veículos, uma Kombi e um Gol, pararam ao lado dos coletivos. Os passageiros dos veículos saíram e ordenaram aos passageiros dos coletivos que saíssem e atearam fogo.Na avenida Raimundo Pereira de Magalhães, altura do número 5.892, seis pessoas bloquearam a passagem do ônibus da Fênix que fazia a linha Jardim Rincão-Terminal Pirituba, mandaram os passageiros saírem e atearam fogo no veículo. Ninguém ficou ferido nos ataques. O ponto de ônibus do local derreteu com o incêndio.Em Suzano, um ônibus da prefeitura foi queimado no pátio do órgão público. Em Ferraz de Vasconcelos, outro ônibus também foi incendiado.Em Mauá, na região do Grande ABC, outro ônibus foi incendiado. De acordo com o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), o ataque aconteceu no bairro de Vila Assis Brasil. Com esse atentado, subiu para três o número de coletivos incendiados hoje na região do Grande ABC. Os outros dois ocorreram em Santo André e no próprio município de Mauá.Em Guarulhos, um ônibus foi atacado na manhã desta quara, na Rua Ipacaetá, no Jardim Presidente Dutra. Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 10 horas, os suspeitos atiraram um coquetel molotov contra o coletivo, causando um princípio de incêndio. O cobrador e o motorista do ônibus conseguiram extinguir o fogo. Ninguém ficou ferido.Em Campinas, um ônibus foi incendiado perto das 7 horas da manhã desta quarta-feira, no bairro dos Amarais. Ninguém ficou ferido. O veículo da linha 269 levava 25 passageiros. Segundo depoimento de testemunhas, quatro rapazes interceptaram o coletivo e exigiram a saída dos ocupantes. Um indivíduo estaria armado com um revolver. Depois jogaram gasolina, atearam fogo e fugiram em um automóvel não identificado. Conforme o motorista, um dos incendiários ainda falou "o problema não é com vocês".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.