Após 17 horas, chega ao fim rebelião em presídio de Maringá, no Paraná

Polícia concordou em transferir detentos para outras unidades; este já foi 22º ato do tipo no Estado desde dezembro do ano passado

Julio Cesar Lima, Especial para O Estado

20 Outubro 2014 | 11h46

CURITIBA - Chegou ao fim, após 17 horas, a rebelião na Penitenciária Estadual de Maringá, no noroeste do Paraná, iniciada no final da tarde de domingo, 19, inicialmente com sete presos, que renderam dois agentes penitenciários como reféns.

Os rebelados exigiam a transferência de 20 deles para outras unidades prisionais e, após a Polícia Militar aceitar as condições, eles libertaram os agentes. As negociações haviam sido interrompidas na noite de domingo e foram retomadas às 7h45 desta segunda-feira, 20.

Segundo a Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju), as transferências devem se iniciar no começo da tarde desta segunda-feira. Oito presos serão encaminhados para Londrina, oito para Curitiba e quatro para Foz do Iguaçu, além de outros locais não divulgados. Essa foi a 22ª rebelião no Estado desde dezembro do ano passado.

A rebelião começou logo após o término do horário de visitas, na 4ª galeria da cadeia. Não houve registro de mortes, apenas ferimentos leves nos agentes provocados por estuques utilizados pelos presos para render os agentes.

Mais conteúdo sobre:
Presídio Rebelião Paraná Maringá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.