Após 2 dias secos, chuva causa estragos na capital e no litoral

Temporal deixou ruas alagadas, derrubou árvores e desligou semáforos em São Paulo

Marcela Spinosa, Mônica Cardoso e Rejane Lima, O Estadao de S.Paulo

15 de janeiro de 2009 | 00h00

Depois de dois dias de sol e tempo seco, um temporal desabou ontem no meio da tarde em São Paulo. Nas zonas sul e oeste chegou a chover granizo. Até as 21 horas, em oito bairros das duas regiões ainda não havia sido restabelecido o fornecimento de energia elétrica, segundo informações da Eletropaulo, e 45 cruzamentos estavam com os semáforos apagados. A principal causa da interrupção foi a queda de árvores e galhos na rede elétrica. Ao longo do dia 45 árvores foram arrancadas pela chuva, segundo balanço da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O temporal, que durou cerca de duas horas, deixou vias alagadas na capital e também no litoral. Ao longo do dia, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) contabilizou 20 pontos de alagamento em São Paulo. As zonas oeste, sul, norte e centro ainda permaneciam em estado de atenção na noite de ontem.A chuva começou anteontem à noite. O temporal invadiu a madrugada, deu trégua na manhã e recomeçou às 14h30. A chuva da tarde veio acompanhada de ventos, raios e granizo. Nesse momento, a professora Vanessa Martins, de 34 anos, estava na piscina de sua casa, em Moema, zona sul. "Os granizos eram tão grossos que fiquei com medo de os vidros estourarem", afirmou.Na Avenida Pompeia, na zona oeste, uma grande árvore caiu sobre os fios de rede elétrica e interrompeu o fornecimento de energia. A árvore atingiu um carro, uma casa e um buffet. Ninguém ficou ferido. "Ouvi um estrondo forte e saí para ver o que era. Foi quando vi que a árvore estava bem em cima do capô do meu carro", disse a estudante de Veterinária Paula Hacherly, de 24 anos. Até as 20 horas de ontem, a árvore ainda não havia sido removida.Na Rua Capitão-Mor Gonçalo Monteiro, em Santa Cecília, uma árvore danificou um carro. "Estava ventando muito e não deu para ouvir nada. Essa árvore estava cheia de cupim", afirmou o porteiro Elionildo Ferreira dos Santos, de 30 anos. Outra árvore caiu sobre quatro carros na Rua Hermínio Lemos, no Cambuci, centro.Na Arena Skol, no Anhembi, zona norte, as rajadas de vento arrancaram parte da cobertura dos quiosques de alimentação e sanitários. Dois funcionários ficaram levemente feridos e passam bem. No local será realizado, no sábado, o show do cantor Elton John. A estrutura não foi afetada.Na Baixada, a chuva começou por volta das 14 horas. Em Santos e São Vicente, houve queda de energia. Pelo menos sete árvores caíram em São Vicente. No Porto, o teto de um galpão da Coperçúcar desmoronou. No Guarujá, uma árvore caiu na Praia da Enseada. Segundo a Base Aérea, os ventos chegaram a 90 km/h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.