MOISéS SILVA/O TEMPO
MOISéS SILVA/O TEMPO

Após 21 horas, pista do aeroporto de Confins é totalmente liberada

Espaço foi bloqueado após pouso de emergência de aeronave da Latam

Fabiana Cambricoli e Leonardo Augusto, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2018 | 00h59

SÃO PAULO - A pista do Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, foi totalmente liberada às 22h48 desta quinta, 20, após ficar bloqueada por quase todo o dia por causa de um pouso de emergência de uma aeronave da Latam que seguia de Guarulhos para Londres e que teve que aterrissar na capital mineira após sofrer uma pane elétrica.

O pouso de emergência ocorreu à 1h43 de quinta, quando a pista de Confins foi totalmente interditada para outras decolagens e aterrizagens. Às 11h45, a pista foi parcialmente liberada, segundo a concessionária BH Airport, que administra o aeroporto.

A reabertura integral só foi autorizada após a aeronave da Latam ter sido retirada da pista, o que aconteceu às 21h58. Como os pneus furaram no pouso de emergência, foi preciso a ajuda de equipamentos da Força Aérea Brasileira (FAB) para retirar o veículo da pista. A Azul também prestou auxílio na operação.

Por causa do bloqueio, 146 voos de e para Confins foram cancelados. No Aeroporto de Guarulhos, mais transtornos: como os passageiros do voo acidentado tiveram de ser reacomodados num voo especial para Londres na noite de quinta, o voo regular previsto para o mesmo horário teve de ser cancelado, o que causou confusão entre passageiros e funcionários da companhia. “Já passamos em cinco balcões da Latam e ninguém diz quando iremos embarcar”, relatou a funcionária pública Maria Rosa Burzynski, de 63 anos, às 22 horas.

Nova pista. A possibilidade de atrasos como os que ocorreram no Aeroporto de Confins, por causa do pouso de emergência da aeronave que seguia de São Paulo para Londres, só deverá ser extinta quando o projeto para construção da segunda pista da planta estiver concluído.

De acordo com o contrato de concessão, fechado em 2014, a BH Airport, que administra o terminal, tem até 31 de dezembro de 2020 para concluir a obra. O documento prevê ainda que, caso o número de pousos e decolagens chegue a 198 mil por ano, a construção da segunda pista deve ser iniciada. Hoje, Confins tem cerca de 99 mil pousos e decolagens por ano.

Inaugurado em 1984, o aeroporto, que fica a cerca de 40 quilômetros de Belo Horizonte, no município de mesmo nome. Naquele ano teve início processo de transferência de voos do Aeroporto da Pampulha, na região norte de Belo Horizonte, para Confins. Hoje, o terminal da capital opera basicamente voos com origem e destino dentro do Estado.

Com 29 anos de profissão e oito mil horas de voo, o comandante Sérgio Luís Mourão, de 46 anos, afirma que Confins é um dos aeroportos mais seguros do país, mas que a construção da segunda pista é fundamental. “Em momentos assim é que a gente vê a necessidade desta obra”, afirma. 

O piloto, que atua na aviação executiva, afirma ainda que, com duas pistas, passa a ser possível, por exemplo, aproximações simultâneas. Confins possui configuração para a implantação da segunda pista, como a necessidade de distância de 750 metros entre uma e outra.

Em nota, a BH Airport afirma que “o contrato de concessão determina que o projeto de implantação da segunda pista de pousos e decolagens tem que ser apresentado quando o Aeroporto atingir um total de 144 mil movimentos (pousos e decolagens) por ano e que a conclusão do empreendimento deve ocorrer com o patamar de 198 mil movimentos (pousos e decolagens) por ano. Atualmente, o Aeroporto registra em torno de 99 mil movimentos/ano”.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.