Após 60 anos, Bar Brahma está na esquina da Ipiranga e São João

Nova ala voltada para músicos jovens abre no dia 24 com ambiente moderno e computadores

Renato Machado, O Estadao de S.Paulo

17 de junho de 2008 | 00h00

Sempre se falou que o Bar Brahma ficava no cruzamento das Avenidas Ipiranga e São João, certo? Não exatamente, pode dizer alguém mais rigoroso. A entrada do bar, que está completando 60 anos em 2008, fica a uns cinco metros dali, na São João. A do Brahminha é na Ipiranga, também perto, mas não bem no encontro das vias. Só que essa história vai mudar no próximo dia 24, quando será inaugurado o Esquina da MPB, nova ala do Brahma, que ficará bem na quina da esquina mais famosa da cidade e da música brasileira.A nova ala do bar irá funcionar em um prédio de dois andares com vista para as duas avenidas. Em contraste com a mobília de madeira e o tradicionalismo da casa original, o novo ambiente terá um aspecto moderno, com televisores de plasma e computadores espalhados pelo espaço. A idéia é criar um ambiente de interatividade, em que os usuários possam ouvir determinado artista, pesquisar material sobre ele nos computadores e comprar downloads de suas músicas. No espaço, também haverá um café e um memorial da música brasileira.Tanto do térreo como no segundo andar, será possível visualizar o pequeno palco, desenvolvido dessa forma para criar um ambiente mais intimista. Atrás dele, haverá uma cortina de veludo, onde pequenas luzes simbolizarão a garoa paulistana.Enquanto do lado tradicional estarão Jair Rodrigues, Demônios da Garoa e Cauby Peixoto, o palco da ala a ser inaugurada abrigará músicos da nova geração.As apresentações na nova casa começarão às 20 horas, com pocket shows, espaço para artistas em início de carreira. Depois, subirão ao palco músicos que representam a nova leva da música brasileira e, em dias especiais, nomes consagrados. Na semana de inauguração, irão se apresentar Vital Farias (terça-feira), Fernanda Takai (quarta), Nei Lopes (quinta), Luiz Carlos da Vila e T. Kaçúla (sexta) e Hermeto Paschoal (sábado). O couvert artístico é de R$ 20.O projeto da Esquina da MPB também prevê no segundo semestre a construção de uma calçada da fama. Nela estarão blocos com nomes, imagens e as marcas das mãos dos artistas. Ainda não existe uma lista prévia, mas Alvaro Aoas, um dos sócios do Bar Brahma, adianta os que considera indispensáveis. ''Tem de ter Caetano, Toquinho, Jair Rodrigues.'' Também nesse espaço, serão realizados nas manhãs de domingo shows ao ar livre com os músicos que mais se destacaram durante a semana.Na construção do Esquina da MPB foram gastos R$ 1,5 milhão. Segundo Aoas, o principal objetivo do empreendimento é resgatar o charme da esquina imortalizada em Sampa, de Caetano Veloso. '' Se quiséssemos só faturar, simplesmente ampliaríamos o Brahma, porque temos demanda para isso. Nós queremos é dar um aspecto totalmente musical a ela, para as pessoas não chegarem aqui e simplesmente tirarem uma foto das placas da rua .''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.