Após acidente, semáforo será instalado em avenida de SP

O presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Roberto Scaringella, disse que a criação de um acesso da Rua Capote Valente aos dois sentidos da Avenida Paulo VI, na zona oeste de São Paulo, com semáforo e faixa de pedestres, é a solução mais provável para atender à reivindicação dos estudantes da Faculdade Sumaré para a travessia mais segura da avenida. Na sexta-feira, 20, a aluna Renata da Conceição, de 24 anos, foi atropelada por uma moto no local, o que motivou um protesto de seus colegas, reprimido a balas de borracha pela polícia.Além do cruzamento em T, Scaringella apresentará nesta segunda-feira, 23, à diretoria da faculdade outras duas propostas: instalar um semáforo acionado por botão na Paulo VI ou construir uma passarela. Mas fez ressalvas: ?O farol de botão não é muito respeitado pelos motoristas e a passarela tem um custo alto.?Renata deve ter alta nesta segunda do Hospital Iguatemi, onde foi internada com traumatismo craniano leve. Ela disse no domingo, 22, que, apesar do susto, o acidente ajudou na reivindicação. ?Foi preciso quase ocorrer uma tragédia para a Prefeitura perceber um problema antigo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.