Após apagão aéreo, aeroporto de Brasília é vistoriado

O presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, e o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau fizeram nesta terça-feira, 20, uma vistoria no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, após o apagão aéreo ocorrido no domingo, 18. Ocorreram fortes "picos" na rede de energia elétrica que queimaram painéis (monitores) de informações aos passageiros e impediram o funcionamento de esteiras e outros mecanismos automáticos. Por conta do problema, ocorreram atrasos em vôos nos principais aeroportos brasileiros.O brigadeiro evitou divulgar informações sobre os resultados da vistoria. E o ministro limitou-se a dizer que não foi identificado, por enquanto, nenhum problema no sistema elétrico. José Carlos Pereira disse que Silas Rondeau foi ao aeroporto para uma visita e para "verificar o sistema (elétrico), porque não conhece seu funcionamento." E descartou a possibilidade de sabotagem como causa das constantes panes no sistema de controle de tráfego aéreo do País.No encontro entre o ministro e o brigadeiro, foi acertado que, em 48 horas, será apresentado um diagnóstico ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na segunda-feira, 19, na reunião de emergência realizada no Palácio do Planalto pelo presidente Lula com as autoridades do setor aeronáutico, o presidente exigiu rigor nas investigações, medidas eficientes e toda a atenção com os passageiros.Nesta terça, pouco antes das 11 horas, houve um novo "pico" no fornecimento de energia do Aeroporto Internacional de Brasília, e os painéis ficaram cerca de uma hora sem funcionar. No domingo, os painéis ficaram apagados por 19 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.