Após blitz, some mulher que levava US$ 130 mil

A polícia do Rio investiga o desaparecimento da chinesa Ye Guoe, de 35 anos, após ela comprar US$ 130 mil em uma casa de câmbio. Ye Guoe falou com o marido na quinta-feira e, desde então, a família não consegue contato com seu celular. Segundo reportagem divulgada ontem pelo Jornal Nacional, ela foi vista pela última vez por um taxista que a pegou na porta de um shopping center na zona oeste. Em depoimento, o taxista afirmou ter sido parado por uma viatura policial com quatro pessoas portando distintivos parecidos com os da Polícia Civil. Os homens disseram que faziam uma investigação e detiveram Ye Guoe. "Já desligaram o telefone dela e não tem mais contato nenhum. A minha avaliação é que o pior aconteceu", afirmou o advogado da família, Antônio Ferreira Daltro.O marido de Ye Guoe, Chien Chien Hou, disse que sua mulher é comerciante e não explicou porque ela carregava US$ 130 mil. A Corregedoria da Polícia Civil informou que está levantando todas as viaturas com as características descritas pelo taxista. "Esperamos, no menor tempo possível, identificar os policiais", disse a corregedora Ivanete Araújo. Há, porém, extenso histórico de crimes cometidos por falsos policiais no Rio. Em agosto, o Estado flagrou assalto a um dono de casa de câmbio na zona oeste da cidade, por dois bombeiros disfarçados de policiais federais. O empresário resistiu a um seqüestro. Ao perceberam a equipe de reportagem do Estado, os bandidos fugiram levando US$ 15 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.