Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Após cerco policial, homem que atirou em ex-namorada se mata no Rio

Negociação para rendição durou quatro horas; na sexta, ele disparou 11 tiros contra a ex-companheira

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 09h37

RIO - Acusado de disparar 11 tiros contra a ex-namorada e o atual companheiro dela na última sexta-feira,29, o corretor de imóveis Paulo Henrique Goulart, de 43 anos, cometeu suicídio na manhã desta terça-feira, 3, em sua casa, ao receber voz de prisão. De acordo com a 32ª Delegacia de Polícia (Taquara), quando os policiais entraram na casa, Goulart se trancou em um closet. "Os policiais da 32ª com apoio de especialistas da Core tentaram, durante quatro horas, negociar para que ele se entregasse", informou em nota oficial. "Mas o autor acabou tirando a própria vida." 

+++ Polícia prende quatro homens suspeitos de integrar milícia no Rio

Na noite da última sexta-feira, ele disparou onze tiros contra o carro em que a ex-namorada, de 24 anos, estava com o atual companheiro, na Linha Amarela. Os dois foram atingidos e sobreviveram. No fim de semana, o corretor teria voltado a ameaçar os dois, dizendo que eles "não iam ficar vivos". Além de ser procurado por tentativa de homicídio, Goulart já era réu em um processo no 7º Juizado de Violência Doméstica da capital, aberto a partir de um registro de ocorrência feito pela ex-namorada em maio passado. Ele também havia sido denunciado pelo Ministério Público por crimes de lesão corporal decorrente de violência doméstica e ameaça.

 

Mais conteúdo sobre:
feminicídiohomicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.