Após denúncias e censura,Gaguim despenca no TO

Governador, que tenta a reeleição, agora aparece 11 pontos atrás do adversário tucano, Siqueira Campos

João Domingos ENVIADO ESPECIAL / PALMAS, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2010 | 00h00

Foi tiro e queda. Favorito nas primeiras pesquisas de intenção de voto, o governador Carlos Gaguim, candidato à reeleição no Tocantins pelo PMDB, não se endireitou mais depois da investigação do Ministério Público de São Paulo sobre suposto envolvimento com um grupo que desviou dinheiro de prefeituras e da censura a 84 veículos de comunicação.

O Estado foi um dos veículos atingidos pela mordaça de uma liminar concedida no dia 24 pelo desembargador Liberato Póvoa, do TRE. A decisão caiu na segunda-feira, mas o erro político cometido por Gaguim mostrou-se arrasador para suas pretensões.Tanto é que ele próprio tentou corrigir o tropeço durante a propaganda gratuita da TV, fazendo um mea culpa. Não deu resultado.

De acordo com a última pesquisa Ibope/TV Anhanguera divulgada anteontem, o tucano Siqueira Campos atropelou Gaguim na reta final, abrindo dianteira de 11 pontos porcentuais sobre o adversário, 49% a 38%. Em todas as pesquisas anteriores, Gaguim aparecia na frente.

Como última esperança, o peemedebista tem se agarrado ao presidente Lula e à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Mas nem essa estratégia parece estar dando resultado.

Nas ruas das cidades do Tocantins é fácil perceber que tanto o escândalo dos contratos com as prefeituras quanto a tentativa de censura às notícias causaram grande mal-estar. Os coordenadores da campanha do candidato fizeram uma reunião para avaliar os motivos da queda nas pesquisas eleitorais. Concluíram o que já se percebe nas ruas: que os dois fatos foram fundamentais para afastar os eleitores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.